Polícia Militar aponta redução no número de crimes em Jundiaí

Em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (12), no Paço Municipal, representantes das forças de segurança da cidade e lideranças do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), estiveram presentes para repassar à imprensa dados pertinentes as ações efetivadas pela Polícia Militar no ano de 2017, com o intuito de reforçar a integração entre as forças de segurança no município.

A coletiva foi comandada pelo Tenente-Coronel Henrique Neto, do 11º Batalhão da Polícia Militar, que apontou essa integração entre todas as forças, unificadas por meio do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), como ponto primordial para a melhora das estatísticas na cidade e região. Na ocasião, representantes do 49º Batalhão de Polícia Militar, da Polícia Rodoviária e do Corpo de Bombeiros também estavam presentes, assim como o Prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado.

Em porcentagem, a maior redução foi de 55% nas ocorrências de latrocínio, seguidas pelas quedas nas ocorrências de furto de veículos (32%), roubo de veículos (28%), roubo em geral (28%), roubo de cargas (13%) e furtos em geral (12%).

No total, 2265 pessoas foram presas no último ano em Jundiaí. "É praticamente quatro vezes o número de capacidade do Centro de Detenção Provisória de Jundiaí. Ainda existe o número de detentos pela Guarda Municipal de Jundiaí e pela Polícia Civil", disse o Tenente-Coronel Henrique Neto.


Na ocasião, ele reforçou o tráfico de drogas como, hoje, um dos maiores problemas da cidade. "No último ano foram apreendidas 7 toneladas de droga. O tráfico é uma atividade economicamente atrativa, com muita demanda. Hoje esse crime se constitui hoje como um modo de vida", disse, enfatizando que a atividade criminosa acaba gerando usuários de droga que, para sustentar o vício, acabam furtando e roubando. "Fazemos várias ações para coibir, mas esses problemas também tem um cunho de saúde pública", continuou.

Dentre os outros números de produtividade disponibilizados à imprensa, um chama a atenção: em 2017, 3 milhões de chamadas telefônicas foram realizadas pela população, afim de contatar as forças de segurança.

Também no ano passado houveram 236 flagrantes por conta da Lei Seca e 13 mil autuações por conta de embriaguez. Neste ano, segundo informações cedidas na coletiva desta manhã, a primeira grande operação contra o uso de álcool no volante está marcada para o Carnaval.

Entre em janeiro e dezembro, as forças de segurança realizaram 35 mil operações e ações policiais. Foram 408 mil veículos fiscalizados e 473 mil pessoas abordadas. Dos veículos furtados, 862 foram recuperados. Também foram apreendidas 208 armas na cidade.

Polícia Rodoviária

Também presente na coletiva, representada pelo Tenente-Coronel Martins, a Polícia Rodoviária alcançou uma redução de 13% no número de roubo de cargas na região. Martins ressalta que, por Jundiaí estar situada em um importante polo logístico, entre São Paulo e Campinas, e por ser cortada por rodovias importantes, o crime de roubo de cargas é comum no município.

O tenente-coronel ainda citou o alto número de acidentes com motociclistas na cidade.  "Vamos intensificar cada vez mais a fiscalização. Tanto se fala em indústria da multa, mas somente com elas cada vez mais constantes, conseguimos reduzir 50 mortes no ano. Quanto vale uma vida?", questionou.

Corpo de Bombeiros

O 19º Grupamento de Bombeiros de Jundiaí, representado pelo Major Neves, apontou como o maior desafio o tamanho da área atendida pelo grupamento. “Atendemos 28 municípios, com 9 quartéis de bombeiros. Nós trabalhamos em um sistema coordenado, conforme a situação de maior risco e necessidade”, disse.

Somente no último ano, o Corpo de Bombeiros controlou 2.521 incêndios na região, bem como realizou 2.333 salvamentos e 7.262 resgates de pessoas. No caso dos incêndios, o Major ressalta que, nas estatísticas, entram focos de todos os tipos: em mata, em casa, em carro, em carga..."Mas a nossa grande demanda é incêndio em mata. No período de estiagem, no ano passado, tivemos grandes incêndios, até mesmo em área de preservação ambiental. Eu vi vegetação destruída, animais mortos. A maioria deles, infelizmente, são provocados pelo homem”, lamentou.

Tecnologia

A tecnologia foi apontada, por todos os representantes das forças de segurança, como primordial para a obtenção dos resultados positivos. No caso do roubo de veículos, o OCR da Guarda Municipal atua como facilitador para as forças de segurança, funcionando como um monitoramento eletrônico dos veículos furtados, por meio de um sistema de câmeras espalhado por toda a cidade.

Seguindo pelo mesmo modelo, o estado de São Paulo está implantando o sistema Detecta, que é ainda mais moderno e atua também auxiliando a Polícia Militar por meio de avisos diretamente para os policiais dentro da viatura, com avisos de pessoas envolvidas em crimes, carros roubados, dentre outros. Na cidade de São Paulo, segundo o Major Neves, o sistema foi de grande utilidade.

“Também estamos trabalhando no Boletim Eletrônico, que vai ser possível acessar via tablet e smartphone. Estamos investindo em tecnologia pela importância da cidade”, afirmou o Tenente-Coronel Martins.

Conscientização

As forças de segurança também estão investindo em conscientização, segundo afirmaram nesta manhã. Os números mostram que, no último ano, mais de 10 mil crianças se formaram em programas de prevenção, como é o caso do PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência. O programa é ministrado em escolas, tanto municipais, quanto estaduais.

Recomendados para você