Jundiaí, a 8ª cidade menos violenta do país. Muitos leitores discordam

Um ranking divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea ), na semana passada, apontou Jundiaí como o 8° município brasileiro com menor taxa de violência no Brasil. Muitos leitores do Tribuna de Jundiaí, no entanto, discordam da pesquisa, que leva em conta apenas o número de homicídios. Logo que publicada a reportagem sobre o índice, nossos seguidores passaram a questionar os números apresentados.

“Essa pesquisa deve ter sido feita há anos. Não é possível, porque a coisa aqui está feia, falta de segurança total”, comentou a leitora Maria Silva. “Eu não acredito. Isso não deve ser verdade. Tem muitas ocorrências não registradas”, completou José Ramos da Cruz, na postagem da matéria em nossa página do Facebook.

Roubos e furtos fora da lista

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, somente no primeiro trimestre de 2017, foram registrados 665 roubos, sendo 115 de veículos e 39 de carga.

No ano passado, nos três primeiros meses do ano, foram notificados 590 roubos.


Furtos contabilizam 1.657 casos, contra 1.200 no primeiro trimestre do ano passado. Ainda de acordo com o levantamento, foram registrados 22 casos de estupro e 19 ocorrências de estupro de vulnerável (contra menor de 14 ou pessoa com deficiência). Estes e outros índices não constam na lista do Ipea, que aponta Jundiaí entre as “oito cidades mais seguras do país”.

Nos últimos dias, várias ocorrências foram registradas, nos bairros da Vila Arens, Hortolândia e na região central. Um assassinato também foi registrado na Rua da Várzea, no bairro da Agapeama. De acordo com as informações, a vítima, o representante comercial Adalberto Micai da Silva, saía de um bar quando foi atingido por um tiro nas costas.

Outro caso recente aconteceu no Parque da Represa, no último dia 5, quando um morador foi surpreendido por dois assaltantes enquanto saía de casa para trabalhar. Segundo a Polícia Militar, a vítima entrou em confronto com os bandidos e conseguiu balear um deles. Os dois criminosos conseguiram fugir e, horas mais tarde, equipes localizaram o corpo de um deles. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Aplicativo ajuda a mapear roubos

“Onde Fui Roubado” é um mapa coletivo com ocorrências de crimes a partir do Google Maps. O usuário deve selecionar a cidade em que deseja consultar os roubos e aí pode visualizar o mapa com os crimes.

É possível filtrar os resultados por data (escolher visualizar apenas os crimes em um determinado período) e buscar um endereço específico. Além disso, o usuário pode consultar um painel de estatísticas com informações, como ranking de objetos mais roubados e tipos de assaltos mais frequentes.

Para fazer uma denúncia, basta indicar o endereço do ocorrido, tipo de crime, data e hora, dar um título que descreva o crime, quais objetos foram roubados, se registrou boletim de ocorrência, um prejuízo estimado e o gênero do usuário (homem ou mulher).

Estatística do aplicativo mostra que o Centro da cidade é o local com maior número de ocorrências, seguido pelos bairros Engordadouro e Vianelo.

Recomendados para você