Ministro da Saúde contradiz próprias diretrizes sobre caso Grendacc

Ministro da Saúde contradiz próprias diretrizes sobre caso Grendacc

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, declarou ao Bom dia Brasil, da Rede Globo, que o repasse de verbas de UTI do Hospital do Grendacc terão de ser vinculados ao Hospital São Vicente de Paulo que, por sua vez, faria o repasse dos recursos à instituição (assista ao vídeo).

A declaração, porém, contradiz a própria norma federal segundo o gestor de qualidade do Grendacc, Daniel Thomé Catalan. “Estamos até agora tentando entender, já que segundo a portaria, o repasse neste caso teria de ser via entidade com o mesmo CNPJ, o que não é o caso de São Vicente e Grendacc”, relata. “Inclusive não recebemos nenhum posicionamento oficial do ministério, apenas assistimos a essa entrevista”, enfatiza.

Daniel Thome Catalan gestor de qualidade do GrendaccDaniel Thomé Catalan, gestor de qualidade do Grendacc

De acordo com ele, existem dois processos que não devem ser confundidos. A habilitação por meio da Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) já permite um repasse de R$ 80 mil mensais ao Grendacc via Hospital São Vicente de Paulo. O que é aguardado pela instituição é o credenciamento para envio de recursos à UTI, o que geraria uma receita de mais R$ 200 mil, fundamentais para a manutenção dos leitos no Hospital da Criança. Neste caso, porém, o credenciamento teria de ser direto, segundo as normas do ministério. Os custos totais do Grendacc por mês giram em R$ 1,5 milhão.

Ministro da Saúde contradiz próprias diretrizes sobre caso Grendacc

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, declarou ao Bom dia Brasil, da Rede Globo, que o repasse de verbas de UTI do Hospital do Grendacc terão de ser vinculados ao Hospital São Vicente de Paulo que, por sua vez, faria o repasse dos recursos à instituição (assista ao vídeo).

A declaração, porém, contradiz a própria norma federal segundo o gestor de qualidade do Grendacc, Daniel Thomé Catalan. “Estamos até agora tentando entender, já que segundo a portaria, o repasse neste caso teria de ser via entidade com o mesmo CNPJ, o que não é o caso de São Vicente e Grendacc”, relata. “Inclusive não recebemos nenhum posicionamento oficial do ministério, apenas assistimos a essa entrevista”, enfatiza.

Daniel Thome Catalan gestor de qualidade do GrendaccDaniel Thomé Catalan, gestor de qualidade do Grendacc

De acordo com ele, existem dois processos que não devem ser confundidos. A habilitação por meio da Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) já permite um repasse de R$ 80 mil mensais ao Grendacc via Hospital São Vicente de Paulo. O que é aguardado pela instituição é o credenciamento para envio de recursos à UTI, o que geraria uma receita de mais R$ 200 mil, fundamentais para a manutenção dos leitos no Hospital da Criança. Neste caso, porém, o credenciamento teria de ser direto, segundo as normas do ministério. Os custos totais do Grendacc por mês giram em R$ 1,5 milhão.

Recomendados para você