Amoêdo, candidato do Novo, declara R$ 425 milhões em bens no TSE

Amoêdo, candidato do Novo, declara R$ 425 milhões em bens no TSE

O candidato do Novo à Presidência, João Amoêdo, realizou o pedido de registo de candidatura ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nesta segunda-feira (13), e declarou ter um patrimônio de R$ 425 milhões em bens.

Até o momento, Amoêdo é o candidato mais rico entre os seis que já pediram seus registros. Veja os patrimônios declarados até o momento:


  • Cabo Daciolo (Patriota): não declarou bens
  • Ciro Gomes (PDT): R$ 1,6 milhão
  • Geraldo Alckmin (PSDB), R$ 1,3 milhão
  • Guilherme Boulos (PSOL): R$ 15,4 mil
  • João Amoêdo (Novo): R$ 425 milhões
  • Vera Lúcia (PSTU): R$ 20 mil

A maior parte do patrimônio do candidato do Novo está distribuída entre aplicações de renda fixa (R$ 217 milhões), participação em empresas (R$ 108,4 milhões), investimento em fundos (R$ 55,3 milhões). O restante inclui imóveis e veículos, além de R$ 1,1 milhão na categoria destinada a joias e obras de arte.

Em tese, o patrimônio de Amoêdo permitiria que ele bancasse por inteiro sua própria campanha, já que o limite de gastos previsto em lei para o primeiro turno da campanha presidencial é de R$ 70 milhões por candidato.


Aos 55 anos, Amoêdo disputa sua primeira eleição e é o primeiro candidato presidencial do Novo. Engenheiro nascido no Rio de Janeiro, ele fez carreira como executivo do mercado financeiro e da construção civil.

Nas últimas pesquisas Datafolha e Ibope, feitas em junho, Amoêdo foi mencionado por entrevistados, mas não chegou a 1% das intenções de voto.

Sete candidatos ainda não pediram o registro no TSE. São eles Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), João Goulart Filho (PPL) e José Maria Eymael (DC).

Com informações da UOL.

Recomendados para você